As oito preocupações que devem ser deixadas de lado, para alcançarmos a expansão de consciência e uma vida mais leve

IMG_7290

Preocupar-se vem de se ocupar antes da situação sequer realmente existir. Com preocupações nos afastamos do momento presente e não entregamos todo o nosso potencial para a situação real que está em nossa frente.

Segundo o Budismo Tibetano das linhagens Atisha, são oito as preocupações que nos prendem ao ego, nos afastam da verdadeira vida espiritual e  são empecilhos para o nosso progresso pessoal. 

 

São elas:

1ª: Querer ganhar  e 2ª: Não querer perder

Porque se você não estiver muito ocupado em querer sempre ganhar e não se importar muito caso venha a perder algo, você estará expandindo a sua consciência por não dar força ao ego. São duas grandes preocupações que nos tomam muito tempo e energia.

 3ª – Querer ser reconhecido e 4ª- Não querer ser ignorado

Se você não lutar com unhas e dentes para ser reconhecido, para ser famoso e também não se importar em demasia se for ignorado,  no contexto Budista, nós só vamos chegar a iluminação ou ao Nirvana quando não nos identificarmos em demasia com a nossa personalidade. Não necessitando reconhecimentos estará tirando força do ego e assim estará mais próximo de quem realmente você é. E nossa alma é leve.

 5ª- Querer ser elogiado e 6ª – Não querer ser criticado

No Budismo e no Hinduísmo isto é chamado de reta ação. Que diz que não devemos realizar as coisas visando elogios. Devemos fazer as coisas porque sabemos que é correto dentro do bem.Também não desejar não ser criticado. Isto com certeza nos afastará da ignorância.

 Curso Expansivo Banner 468 x 60

7ª – Querer prazer e 8ª- Não querer dor

Que são as principais, na minha percepção, e que aliás gera todas as outras preocupações, se você não viver para manter-se ardentemente em prazer e também entender que a dor tem sua função e não deve ser depreciada, aí então você estará andando a passos largos na contramão do seu ego. 

É como já falamos, avançar no caminho espiritual requer uma desidentificação com o nosso ego, pois é ele que nos mantém na dualidade e a espiritualidade é a Unidade, é a Integração e o Amor Maior. É o senso do todo. Quando um cresce, todos crescem.

Como harmonizar o ego?

Realizar esses processos é o que muitos chamam de “Matar o Ego”. Porque é esse o procedimento. Como que nós matamos algo? Harmonizando!

O caminho não é matar, mas sim harmonizar, para demonstrar pontos de crescimento.  E deixando de lado essas 8 preocupações, nós realizamos isso, não alimentamos o ego, ele perde força, nós o conduzimos bem e trilhamos um outro caminho, o de crescimento espiritual. A isso é chamado também de transcender o ego.

Harmonizar o ego também passa por entrar no caminho espiritual. Para isso é preciso entender a nossa verdadeira motivação! É pelo interesse de adquirir novos conhecimentos? Se sim, este é um belo ponto de partida, mas não o suficiente, é preciso algo mais. 

8 preocupações que devem ser esquecidas2

 

Motivações para entrar no mundo espiritual

Muitas pessoas podem sentir-se inclinadas a buscar as práticas espirituais por medo da morte, ou de “castigos” em suas vidas futuras pela aquisição de karmas. A motivação pelo medo necessita ser transformada para que o caminho espiritual seja benéfico. E com bom entendimento e compreensão nós podemos tornar o caminho espiritual prazeroso.  Lembrando que o verdadeiro prazer, segundo Buda e muitos outros Mestres é quando nós estamos fora de todo esse jogo, fora da gangorra que ora está embaixo, vibrando na dor e ora está em cima,vibrando no confortável e agradável. É essa compreensão que tem que ser atingida, porque se assim não for feito, é muito provável que não sigamos por muito tempo as práticas. 

Outras pessoas podem iniciar essa busca por egoísmo, pelo fato de perceber que há uma realidade subjetiva da Vida e do Universo e que essas, possuem uma natureza sutil. Sendo assim, se busca isso para compreender os mecanismos energéticos para usar de modo que gerem benefício exclusivamente próprio, como, por exemplo, usar esse dinamismo para se manter vencedor, visando sempre ganhar, para buscar sempre com mais facilidade os prazeres mundanos e aqui nesse caso o que importa apenas é o meu prazer, não interessando se os outros estão em dor ou sofrimento. Esta motivação egóica já é um algo a mais em relação a busca espiritual pelo medo, mas ainda assim também precisa ser transformada.

E existe ainda uma terceira motivação, mais amorosa e responsável, que é a Motivação pela Compaixão. Que é a mais próxima do crescimento espiritual verdadeiro e estável. Na compaixão já há um interesse na fraternidade e também no bem-estar dos demais seres que convivem conosco. E isso se configura como um pequeno, mas importantíssimo passo em direção ao nosso verdadeiro crescimento espiritual.

 

8 preocupações que devemos deixar de lado
Tags: