Mensagem do Mentor Oikenaz

 capa curso expansivo de espiritualidade 250 250 2

Palestra do espírito Oikenaz, psicofonada pelo médium Jordelei no dia 09 de novembro de 2018, no Lar de Juliano em Santa Maria – RS

Disponível também em vídeo no Youtube.

Saudações energéticas vos trago uma vez mais do mundo espiritual. Boa noite a todos. Como estão? Amados e benditos filhos de Deus. Estão bem? Tenho a certeza absoluta que retornarão as seus lares infinitamente melhores do que aqui chegaram. Essa é a vontade de Deus nosso Pai Maior. É com imensa alegria que damos por aberto mais um trabalho mediúnico nesta sexta-feira, cheia de luz, cheia de paz, preparando para que o fim de semana possa ser de esperanças renovadas, de amor construído e de imensas reflexões.

O ser humano passa grande parte de seu dia acreditando que vive para ser calibrado, que não importa o que ele faça, mas que ele chega ao final do dia esgotado, esvaído em suas forças físicas e emocionais. Olhamos ao caminharmos nas ruas, a humanidade muitas vezes perdida, como se não tivesse nem tempo para olhar para o lado, todos aqui moram em uma cidade onde a natureza é exuberante, olha-se para um lado enxerga-se a planície, olha-se para o outro, a geografia montanhosa repleta de Mata Atlântica, onde o ar torna-se mais puro, onde a natureza se faz presente em toda a sua forma de existência, mas muitas vezes, as preocupações são tão grandes que nem observar um pássaro cantando ao lado de sua janela se consegue.

Então, caminhamos como zumbis, repetindo e repetindo os mesmos passos todos os dias. Desconcentrados, esquecemos da comunicação, da leitura, porque inúmeras e inúmeras outras formas de descontração parecem no momento tornarem-se mais atrativas, então passamos horas nas redes sociais olhando, muitas vezes uma felicidade imaginária de nossos irmãos.

Postamos, comentamos, escrevemos, realidades que sim, estão presentes em nosso íntimo, mas que muitas vezes é mais um sonho do que uma realidade. Falamos, escrevemos, muitas vezes, como poetas da humanidade, mas agimos como leigos de uma sociedade. Desta forma o ser humano ainda acaba separando, às vezes, separamos pela cor, o que já deveria estar completamente erradicado da humanidade, às vezes, separamos pela idade, outras tantas pelas formas de agir ou de pensar, inúmeras vezes separamos por escolhas sejam elas de partidos ou times de futebol, não importa a razão, o ser humano ainda tende a separar. Compramos brigas constantes, imaginando que isso transformará o mundo por completo, erguemos inúmeras e inúmeras bandeiras na sociedade, de religiões, de formas, de pensamentos, onde muitas vezes perdemos a essência da discussão para partirmos para a agressão.

Deixamos, muitas vezes, de escutar a mensagem amiga, por mais que ali ainda possa estar recheada de erros ou de equívocos, mas a mensagem amiga que, também é libertadora, porque acreditamos muitas vezes, que tudo aquilo que não está de acordo com as nossas verdades momentâneas tornam-se equivocadas e inexistentes. Caminhamos para o individualismo, caminhamos cada vez mais com nomes mais politizados, mas com separações de castas.

E então, regressemos a história da humanidade há alguns milênios e encontramos ali um Ser, que não importava sua profissão, sua condição, seu trabalho, sua posição, não importava nada, a não ser o reconhecimento de que ele era seu irmão perante o universo, mas observem a contradição que muitas vezes usamos na palavra irmão, tratamos o nosso irmão da igreja, da mesquita, da sinagoga, do terreiro de umbanda, do centro espírita ou em qualquer lugar onde estamos como irmãos, somos delicados, carinhosos, atenciosos, mas dentro do nosso próprio lar, quando falamos com nosso irmão sanguíneo a nossa bondade, a nossa generosidade, a nossa paciência, nossa atenção, parecem terem sidas rompidas por completo.

Imagem de Jordelei dos Santos Psicofonando o Mentor Oikenaz

Hoje cedo, Jordelei escutava uma irmã evangélica e aproveitávamos esse momento para trazer esclarecimentos a ele. Ela dizia a Jordelei: Hoje na sociedade precisa-se urgentemente separar cristãos de crentes. Crer em Deus é mais fácil, dizer que é religioso é ainda mais fácil, mas para ser cristão o que se faz necessário? Então, ela pergunta a Jordelei: Você é cristão? Ele parou por um instante. Não, não sou cristão. Ela questionou uma vez mais, intrigada com a resposta. Por que você não é cristão? E ele disse: Porque conheço Jesus e seus ensinamentos e não os cumpro. Então, eu sou apenas mais um crente e não cristão.

Pergunto agora a todos vocês, neste momento: Você crê em ti? Veja a importância dessa pergunta, tudo o que falamos sobre as brigas, as revoltas interiores, sobre ser um poeta, tudo o que falamos até agora, sobre as revoltas internas, sobre as brigas, sobre as bandeiras estendidas e chego num momento e pergunto como se estivesse fugindo por completo do assunto. Você crê em você? Como está a crença em você? Talvez, a resposta para alguns seja, eu nem sei se acredito em mim, caro irmão, não sei, tudo o que eu faço, às vezes dá equivocado. Porém, teremos inúmeras e inúmeras perguntas e respostas em relação a isso, mas o que é mais importante é que, no momento em que você precisa ser um veículo de Deus para auxiliar teu irmão, parece que toda uma força sobrenatural surge através de ti.

Às vezes, precisamos abrir os nossos olhos, não apenas os físicos, mas os olhos espirituais, para observar aquilo que nos rodeia, às vezes, precisamos abrir os nosso ouvidos para escutar. Questionamos e questionamos Deus em muitas de nossas orações, mas sempre dizemos as mesmas coisas e não escuto o que Ele responde. Mas, aí ao mesmo tempo que não escutamos a resposta de Deus ou de nossos amigos seres de luz, nós ignoramos a conversa com o amigo, com o irmão que nos traz a mensagem esclarecedora, a palavra de conforto e de carinho. Nós esquecemos da mensagem que flui em nossa mente no momento que postamos alguma coisa, nós ignoramos muitas vezes, até a mensagem que recebemos ou o sorriso que encontramos.

Amados e benditos filhos de Deus, todos os dias as vossas respostas são direcionadas a vós, para que possam encontrar a paz, a esperança, e o alívio para as dores que estão enfrentando, nós sabemos que elas são duras, pesadas, mas também compreendemos que, muitas vezes elas possam parecer fardos pesados demais para serem carregados, mas também lembramos que nessa caminhada que nos leva à libertação, carregamos aquilo que construímos ao longo de nossas existências.

Para muitas filosofias e crenças poderíamos chamar de carma ou de darma, mas não podemos simplificar apenas em inúmeras e inúmeras ações positivas e uma boa parcela de tropeços, tropeços que são necessários serem reparados, mas não como sofrimento, mas como ação libertadora.
Nossa matéria física, o corpo, ele faz necessário a drenagem de muitos fluídos ainda densos que carregamos de nossas andanças espirituais, do passado e do presente. Nossas emoções ainda circulam constantemente em quem éramos e quem gostaríamos de ser, que entram em conflito total com quem somos atualmente. Então, oscilamos, mas tudo isso é previsto nos processos reencarnatórios.

Precisamos urgentemente compreender que ao nosso redor, independentemente da crença religiosa que temos ou da crença que não temos, precisamos compreender que a marcha, que a caminhada, que a ascensão, que a evolução nos levará a um único destino, a felicidade. E é por isso que os bons espíritos falam a Kardec dos mundos felizes, explicando os mundos primitivos, esclarecendo os mundos de provas e expiações, falando sobre os mundos regenerativos, mas nos mostrando os mundos felizes, nosso destino nessa longa caminhada de ascensão, não de retrocessos, não de sofrimento, não de choros e lágrimas, esse conceito de inferno e de paraíso precisa urgentemente ser transformado, modificado para que possamos em todos os momentos alegres e felizes, assim como nos momentos de muita reflexão que a dor nos causa e nos traz, acreditar e entender que é apenas um processo passageiro, mas de um aprendizado incondicional para a nossa ascensão, para o nosso crescimento.

Então, amados e bondosos filhos de Deus, não se deixe abater jamais pela dor ou pela aflição, não permita nenhum instante que pensamentos nocivos permaneçam no seu campo mental e nem se faça morada em seu campo emocional. Permita apenas, que você possa ser o projeto a felicidade, o projeto de seu mundo que começa a ser construído no momento em que saímos das mãos do Criador, mas que nesse momento, ainda se faz mais importante o movimento e o trabalho.

Falamos na semana anterior de arar a terra, hoje reforço que vós são a semente mais bela que esse solo receberá e que os frutos brotarão, os frutos alimentarão, mas por isso é importante que você acredite em quem você é, por que somos luz e para luz caminharemos.
Lembra-te a mensagem desse nobre irmão de caminhada, Kiumake: “O ser humano tem o direito, o dever e a obrigação de ser feliz”, por isso quando a tristeza ou a lágrima abater teu olhar, teu semblante, coloque os teus joelhos em terra e agradeça a Deus a oportunidade de aprender, de crescer, e com isso levanta, ergue a tua cabeça e coloque um sorriso aonde ele deve estar sempre, não apenas no olhar ou na boca, mas acima de tudo onde ele deve estar sempre, no teu ser como um todo.

Há um ditado popular que diz: “Quem canta os males espanta”. Vocês já viram algum mal perdurar na felicidade? Então, a felicidade está também como chave fundamental para você transformar o seu dia, transmutar as tuas forças.
Que Deus, na sua infinita bondade os ilumine e os abençoe. Para aqueles que estão vindo pela primeira vez, o meu nome é Oikenaz. Sou um amigo espiritual, trabalho através da psicofonia com o Jordelei, mas isso não faz o trabalho especial, apenas faz o trabalho ser um pouco diferente. O fenômeno mediúnico pouco importa diante do amor de Deus, são apenas ferramentas e mecanismos para que Deus possa atingir mais e mais corações, mostrando o seu amor e o seu zelo por todos os filhos e por toda a criatura.

Curso Meditações de Cura hotmart
Conheça o Curso

Respostas às perguntas.

Vamos conseguir ser cristãos. Conforme o ser humano cresce e compreende tudo ao seu redor, se torna mais correto diante da moral cristã, no instante em que se questionou essa situação, Jordelei pensou na sua vida desde o seu nascimento até agora, suas ações, enquanto pertencente a uma crença religiosa diferente da atual. Mesmo diante de todo o conhecimento que ele adquiriu nas leituras está longe de ter conhecimento total. Busca o conhecimento, mesmo diante de tudo isso, de tentar ser uma pessoa amorosa, gentil. Ele não freou suas capacidades ainda de usar todos os conhecimentos que tinha no passado equivocado, para tomar a escolha atual.

Mesmo sabendo que deve amar a seu próximo, muitas vezes, faz uso do ódio, da revolta, da mágoa, mesmo tendo conhecimento do perdão, da tolerância e da paciência, ainda age e trabalha com intolerância, com nervosismo e com falta às leis. Estamos falando da reflexão de um irmão, quase todas as pessoas agem dessa forma, pois é um estágio em que a humanidade passa, ainda conhecemos o caminho, a verdade e a vida, temos Jesus como modelo e estamos no processo de compreender.

Mas se voltássemos no estudo da matemática, pessoas de vinte anos para cima, a maioria da população com essa idade já teve acesso ao conhecimento da matemática, poucos ainda, no planeta terra não tem acesso à educação, desses irmãos que tem acesso, quantos ainda fazem os cálculos de cabeça, sem o auxílio da “maquininha”? Engraçado, não? Termos o conhecimento e não usarmos, mas por que não usamos? Porque é mais cômodo sermos quem somos, é mais cômodo dizer eu sou assim e ponto final. Eu gosto muito quando se termina uma frase dizendo: e ponto final, ou seja, terminou qualquer argumentação depois disso. Se fosse uma vírgula ou reticências e as reticências nos remeteriam a reflexões, mas o ponto final é derradeiro.

Quando somos habituados e acomodados a refletir a nossa imagem, vivemos no automatismo. Ser cristão não é viver do passado, mas viver do presente. Ser cristão não é juntar as mãos e pedir encarecidamente a Deus, a Jesus ou à Maria ao ser de luz que for, que interceda. Ser cristão é fazer isso e muito mais, é olhar para si e fazer uma reflexão do que pode ser mudado, ou melhorado. Ser cristão também é não importar-se com as quedas, mas importar-se com o levantar após a queda.

Acontece que a reflexão que naquele momento buscávamos trazer à consciência de Jordelei, é que enxergamos na humanidade e cuidamos para que não ocorra jamais com ele isso, esta é a nossa vontade, não que seja o que poderá acontecer a ele, de ser um estudioso gigantesco da história, da religião, da doutrina, da espiritualidade, ser um estudioso e possuir o conhecimento é fácil, mas colocar o conhecimento em prática é outra conversa.

Então, quando trazemos essas reflexões a ele, buscamos na verdade, muitas vezes, que ele nem buscasse conhecer mais, mas que ele buscasse amar mais, nem buscasse informações novas, mas que ele se perdoasse mais. Porque se perdoar mais e amar um pouco mais quem ele é, que reflexo terá isso em todos os que o cercam? Se você meu querido filho se amar mais, se tolerar mais, ser mais paciente consigo, que reflexo terá na sua sociedade?

Já se fez esta pergunta? Talvez a resposta de Jordelei tenha sido em relação a isso. Viver com Jesus, nem sempre é ter Jesus em seu coração… Muitas vezes não é a resposta que vocês gostariam de receber, mas quem disse que são as respostas que te fazem crescer? Quando o ser humano possui preocupações demais ou ansiedades maiores, até esquecemos o que íamos fazer, até esquecemos se fechamos a porta da casa. Então, nesse momento precisamos lembrar que muitas vezes somos mais ansiosos do que consciente.

capa curso expansivo de espiritualidade 250 250 2
Conheça o Curso

Assista a psicofonia em Vídeo

Compartilhe!

Tags: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *